“Vou te mostrar a conversa.”

A maior prova de confiança dos tempos modernos
traduzida em poucas teclas.

A gente aprendeu,
com os computadores,
a se despir de qualquer proteção,
como se dissesse: “estou desarmado agora,
compartilhando toda a minha privacidade”.

É depositar todas as fichas
em qualquer opinião que te oriente.
Buscar nos outros
as respostas que sempre estiveram dentro de você.

Livre de possíveis exageros e omissões do discurso indireto,
é pelo copiar-colar que passamos a dividir intimidades.
As nossas, e as dos outros.

Porque suas ideias não são mais somente suas:
seus confidentes têm seus segredos
ao alcance de um clique.
E você,
os deles.

A tecnologia me mostrou
uma nova forma de dividir minhas aflições com quem está distante.
Mas me ensinou,
igualmente,
a respeitá-la.

Porque não há segredo que seja totalmente sustentado pela internet.
Não existe confidência com garantia de permanência no inbox.

A conversa cara a cara cai no esquecimento,
Mas a palavra escrita fica,
pro bem e pro mal.

Comentários