Por favor, descriminalizem a tristeza

Penso ser fácil falar sobre acreditar em si mesmo quando isso é exatamente o que se espera ouvir sobre motivação: sempre acreditar nas ideias, no próprio potencial e na felicidade absoluta — mesmo com todos os elementos que a contrapõem.

A obrigação de parecer sempre feliz não é um convite à alegria genuína, e sim à criminalização da tristeza.

A introspecção tem seu valor.

Boas ideias, boas ideias de verdade, aquelas que realmente te fazem sentir genial por um minuto, se originam de muita reflexão.

Se esqueceram de avisar que tristeza é tão natural quanto o riso.

Ler por aí que o ideal da vida é sorrir independente de tudo não soluciona muita coisa: aquele conselho pode até ecoar por alguns minutos na sua mente, mas você vai continuar se culpando por nem sempre parecer tão motivado quanto deveria.

Deveria?

E por que não se permitir às lágrimas de vez em quando?

Você pode acabar descobrindo algo incrível, escrevendo um poema maravilhoso, encontrando forças que nem sabia que tinha, ou até mesmo aprendendo a encarar com mais serenidade aquilo que é tão inerente à vida quanto dormir e acordar: o sofrer.

Comentários