Quando meus olhos pedem vendas…

Há de se ter muito respeito pelo livre arbítrio e algum sangue frio quando se vê o amor da tua vida com o amor da vida dela. Tem hora que a gente tira de letra, olha pro lado, faz cara de paisagem. Analisa os cadarços dos sapatos, as rachaduras das paredes, as veias das mãos…
Se do quase-amor nasce tanto benquerer, não há quem no mundo se arrependa; mas até que não seria má ideia o acaso ter promovido o encontro de nossas pré-adolescências.
E eu não precisaria presenciar as tentativas de abraço que teu constrangimento impede, certos vocativos românticos dirigidos à tua pessoa, olhares desconfiados de quem vê bem para onde vão meus olhos.
Se eu apareci assim tão tarde, se sei que nada vai mudar nossas histórias, que a solidão sempre se fez minha casa, então talvez não, talvez você não seja o amor da minha vida.

Comentários